Verificações antes de rebocar um trailer


Conferência do peso do trailer, capacidade de reboque do veículo tracionador e homologação do engate instalado.

Os trailers estão ressurgindo com muita força no Brasil como um estilo de vida onde as famílias viajam levando sua casa a tira colo. Eles já viveram entre as décadas de 70 e 90 seu apogeu mas estiveram adormecidos nas últimas décadas. Voltaram recentemente e agora contam com novas fábricas e até importadores colocando todos os meses novos equipamentos nas estradas.


Embora rebocar um trailer seja uma experiencia bastante agradável e gratificante, alguns cuidados devem ser tomados para que a aventura não se transforme em transtorno. 

Antes de iniciar o reboque, o primeiro passo é identificar qual o PESO BRUTO TOTAL (PBT) do trailer que se deseja rebocar. Esta informação é declarada na plaqueta de identificação e no manual do trailer. O PBT é a somatória do PESO REAL (tara) mais a CAPACIDADE DE CARGA incluindo acessórios, bagagens como roupas, alimentos e equipamentos de camping. A escolha do trailer será determinante para a escolha do veículo tracionador.

Depois de identificado qual o peso do trailer, o segundo passo é confirmar se o veículo pretendido possui CAPACIDADE MÁXIMA DE TRAÇÃO (CMT) adequado para suportar o peso do trailer. Esta informação também estará em plaqueta, no manual e/ou até mesmo no documento do veículo. Por vezes, a interpretação desta informação pode trazer alguma dificuldade por conta de formas diferentes de apresentação junto aos diferentes fabricantes automotivos, mas ela é de suma importância para confirmar se o veículo está apto ou não para o reboque. É um risco grande rebocar um trailer com peso superior à capacidade do veículo, além da possibilidade de autuação e apreensão pelas autoridades de transito.

Depois de identificado o peso do trailer (PBT) e a capacidade de tração do veículo (CMT), é necessário confirmar se o engate (dispositivo de acoplamento mecânico para reboque) instalado possui capacidade para suportar o peso do trailer. Não adianta o carro ser capaz se o engate não estiver devidamente homologado. Existe uma RESOLUÇÃO do CONTRAN, a 197 de 25/07/2006 que obriga os fabricantes de engates a declararem na plaqueta informações como o código de registrado no INMETRO, o veículo a que se destina, o peso que ele é capaz de suportar, os dados do fabricante e uma referencia à portaria 197. Existe no mercado diferentes opções de engate para um mesmo veículo, por exemplo, um com capacidade para 800 kg e outro com capacidade para 1500 kg. Você deve escolher o engate adequado para o peso do trailer que pretende rebocar, devidamente homologado junto ao INMETRO.

Confira no site do INMETRO a lista de engates homologados!!

As autoridades de transito possuem a incumbência de multar os motoristas e apreenderem os veículos que estiverem em desacordo com algum destes itens.

Se você já é um trailista ou pretende ingressar na modalidade, tenha a responsabilidade de cumprir as exigências legais para que a modalidade caminhe de forma organizada e respeitosa.

Ficam algumas reflexões:
  • Assuma a responsabilidade pela VIDA HUMANA, sua, de sua família e de outras pelas estradas, não permita rupturas estruturais tanto no veículo tracionador quanto no engate por estarem fora de especificação;
  • O trailismo é uma modalidade extremamente agradável e gratificante;
  • Nunca reboque um trailer com peso superior à capacidade de tração do seu veículo;
  • Exija do fabricante do engate o selo do IN-METRO compatível com o seu veículo e com o peso do trailer que será rebocado;
  • Confira a PORTARIA 197/2007 que regula as exigências para o engate do veículo tracionador.
Os imprevistos já ocorrem estando tudo certinho, imaginem não estando....



2 anos viajando com o novo Turiscar 6.5


Em dezembro de 2017 recebemos da fábrica TURISCAR o nosso trailer Turiscar 6.5. 



Desde sua entrega já viajamos aproximadamente 25.000  quilômetros tendo  sempre  como ponto de partida a cidade de Santos-SP, com alguns  destinos  longos como Punta Del Este no Uruguai, Caldas Novas em Goias e Foz do Iguaçu no Paraná, além de diversos destinos curtos em roteiros de final de semana e feriados.




A meta de realizar no mínimo uma viagem ao mês (12 viagens ao ano), continua sendo mantida desde a compra do primeiro trailer em janeiro de 2014.



Muitas pessoas me perguntam: o novo Turiscar é bem-acabado? é bom de rebocar? possui algum problema? Em resposta a estes questionamentos e na intenção de compartilhar nossa grande satisfação com o equipamento, apresento abaixo um breve relato de nossa jornada com o mesmo. 

Durante a nossa viagem inaugural que teve como destino Punta Del Este no Uruguai, foram identificados alguns itens necessários para ajustes, compreensíveis para um veículo retirado 0 km e construído de forma personalizada. Por uma grande coincidência a cidade sede da fábrica TURISCAR, Gramado-RS, fazia parte do roteiro e no retorno, fomos atendidos para os devidos ajustes. Foi a única vez que o nosso trailer necessitou de uma visita à fábrica.

O único item que exigiu revisão foi o freio que teve um desgaste natural devido a quilometragem, sendo recomendado a substituição das lonas. Por coincidência, somos proprietários da oficina Mundo Off-Road e por conta disso este trabalho foi realizado em nossas instalações na cidade de Santos-SP, sempre com o apoio e orientação dos técnicos da fábrica TURISCAR. 






A dirigibilidade dele é muito boa. Viajamos a uma velocidade cruzeiro de 90 km/h. Por vezes, nos momentos de ultrapassagem, atingimos 100 e até 110 km/h, no entanto, não é uma velocidade permitida por lei, muito menos recomendada para um reboque com este peso e dimensões. Vale ressaltar que para viajar com um trailer somos considerados veículos pesados e temos que respeitar as mesmas regras dos caminhões, incluindo os mesmos limites de velocidade. 



Além de um ótimo projeto de engenharia, a consagrada marca Alemã, AL-KO equipa o chassi e o sistema de rodagem, oferecendo um sistema de segurança, ANTI-PENDULO, denominado ATC (AL-KO Trailer Control) que freia o trailer de forma controlada, caso detecte qualquer oscilação lateral (possibilidade de pêndulo), proporcionando grande segurança ao condutor.  

Vale destacar que atualmente as tecnologias ofertadas no mercado, tanto para os veículos tracionadores (controle de estabilidade, torque elevado de motor) quanto para os trailers (ATC), possibilitam enorme segurança e conforto nas viagens.

O acabamento interno é um destaque a parte; impecável, sofisticado, moderno e de extrema qualidade. 










Importante destacar que mesmo com seu grande tamanho e peso acima de 2 toneladas, viajamos sem nenhuma restrição, nunca tivemos dificuldade para estacioná-lo em algum camping e nosso veículo tracionador FORD Ranger 3.2 a diesel automática, reboca-o sem esforço, na maior parte do tempo no piloto automático a 90 km/h. Destaque ao fato de morarmos em Santos-SP e quase na totalidade dos passeios, somos obrigados e encarar a serra do sistema Anchieta/Imigrantes, mesmo assim, o conjunto se comporta muito bem.

O que mais chama a atenção é sua beleza, durante as viagens sempre somos abordados  nos locais de parada por pessoas perguntado informações e pedido para registrar uma foto. 

As fotos abaixo foram compartilhadas no grupo de WhatsApp pelos proprietários de novos Turiscar:












Somos gratos em fazer parte deste maravilho mundo campista/caravanista e pertencer a esta família TURISCAR.

Texto: Ronald Ataulo
Data da publicação: 22/01/2020

  




Acervo TURISCAR, de Mário César Buzian, genro do Sr. Pedro Luiz Scheid

As fotos apresentadas abaixo foram cedidas por Mário César Buzian, genro do Sr. Pedro Luiz Scheid, fundador da maior fábrica de trailers no Brasil entre as décadas de 60 e 90 a TURISCAR. 

Estendemos o agradecimento pelas imagens à esposa do Sr. Pedro, a Sra. Toni Scheid e sua filha Matilde.

O primeiro trailer fabricado pela Turiscar, sendo transportado para São Paulo no Salão do Automóvel de 1964.

Reportagem do primeiro trailer, o Turiscar Caravana, já exposto no Salão do Automóvel de 1964.

Testes e matéria realizada pela Revista 4 Rodas em 1967.




Revista "Fatos & Fotos" de 1966.



Primeiro "Rally Turiscar" em 1969, onde os trailers saíram do Rio Grande do Sul rumo a São Paulo e Rio de Janeiro para inaugurar alguns campings que foram criados na época pelo CCB - Camping Clube do Brasil, que o Sr. Pedro Scheid ajudou a criar e desenvolver.









Segundo "Rally Turiscar" em 1970, desta vez com destino à Argentina.